SALVADOR TOTAL - Poucas cidades conseguem combinar História, geografia, cultura, arte e gente especial em um só lugar.
- Anúncios -
Accor Hotels
Compartilhe:

 

Diga aí qual é o símbolo de Salvador da Bahia, aquele estampado no brasão da cidade. Sim, é a pomba com um ramo de oliva no bico e a frase em latim: ‘Sic illa ad arcam reversa est’ (Tradução: “E ela retornou à arca”). É menção ao dilúvio bíblico e a sobrevivência da Arca de Noé. Ou, para alguns, o brasão faz referência ao naufrágio do português Caramuru.

SALVADOR DA BAHIA – A  pomba é destaque no brasão da cidade

Não importa a versão escolhida, não poderia haver imagem mais apropriada para falar sobre o que está ocorrendo no momento nesta cidade única. E, de certa forma, o símbolo serve também para explicar como ela conseguiu sobreviver a diversos tipos de “naufrágios” ao longo de seus 470 anos de História.

Maus tratos

Só para falar de acontecimentos recentes, Salvador foi vítima de sucessivos maus tratos por gestões públicas equivocadas. Resultado: ruas sujas e esburacadas, pontos turísticos abandonados, edifícios históricos maltratados, falta de segurança, ausência de investimentos em infraestrutura, administração desastrosa. Até pouco tempo, a cidade parecia viver um caminho sem volta na direção do abismo, com a eventual destruição de seu maravilhoso patrimônio, suas reconhecidas conquistas e, pior, sua autoestima.

Felizmente isto mudou. Foi interferência divina? Pode ser. Afinal não se brinca com a intensa fé de quem mora na cidade. São 372 igrejas católicas, 2250 terreiros de candomblé e, correndo por fora, uma crescente presença evangélica, todos remando a favor de Salvador. Seja por isto, ou pela inabalável vontade de realizar e viver dos cidadãos, a cidade está novamente nos trilhos do sucesso.

Quem não vai a Salvador há muito tempo, leva um susto. Até um metrô de superfície apareceu por lá. Surgem a cada dia novas atrações, como a Casa do Carnaval – museu interativo em pleno Pelourinho. Neste instante, está nascendo um grandioso e moderno centro de convenções. Nada a ver com o anterior, que hoje virou monumento ao Nada.

TRISTE FIM – O Centro de convenções de Salvador antigo, abandonado e em ruínas
DINHEIRO QUE VIROU LIXO…  precisa dizer mais alguma coisa?
Novos tempos

Desta vez, numa iniciativa municipal, a construção fica de frente para o mar, onde no passado funcionou o Aeroclube. O seu formato, como não poderia deixar de ser, lembra o símbolo da cidade: uma pomba estilizada. Com isto, Salvador resgata um potencial de turismo de negócios desperdiçado por más administrações, já que o velho antigo centro de convenções, ficou abandonado e inoperante há anos. Agora, é possível oferecer um espaço privilegiado – e com direito à deslumbrante vista – para realizar congressos, feiras, shows e eventos. Assim, esta iniciativa promove também hospedagem, com maior consumo dos visitantes em restaurantes, bares, comércio e atrações.

O SONHO – Projeto do novo Centro de Convenções de Salvador, em forma de pomba estilizada.
A REALIDADE – A construção acelerada em dezembro de 2019, com inauguração prevista para 2020
Ilha imperdível

Há também novos destinos, como a ilha dos Frades e suas lindas praias, água morna e tranquila e boa comida, como a do Restaurante Preta. Fica apenas a pouco mais de uma hora da cidade, e chega ali através de uma alegre travessia de catamarã pela Baia de Todos os Santos. Não se pode omitir ainda dezenas de obras de revitalização em curso, como as das orlas das praias, ou o calçadão no entorno do Mercado Modelo. São tantas melhorias urbanas, por todos os lados e ao mesmo tempo, que o lugar lembra um canteiro de obras a céu aberto.

ILHA DOS FRADES – O paraíso existe, fica a 1 hora e 20 minutos de catamarã pela baia de Todos os Santos.
MAR CALMO, ÁGUAS CLARAS E MORNAS – O que mais se pode querer de uma praia?
A volta da competência

Além dos seus 3 milhões de moradores, quem vai ganhar com as novas iniciativas é o Turismo. Se hoje já é forte, com 9.3 milhões de visitantes em 2018, dos quais 12% internacionais e um terço de outros Estados brasileiros – ficará ainda mais poderoso.

De forma inteligente, a organização que cuida da captação de eventos para a metrópole, Salvador Destination, comandada por Roberto Duran, tem conseguido capitalizar a energia vibrante da atual fase de recuperação da cidade. Atuando em perfeita harmonia com a Prefeitura, não há espaço para improvisações. Existe sim um plano de marketing e comunicação coordenado pela Secretaria de Cultura e Turismo e estratégias bem traçadas, aos cuidados de uma equipe afinada. Enfim, um trabalho profissional – inclusive reconhecido pelo Prêmio Nacional de Turismo em 2019 – que serve de exemplo aos destinos brasileiros que ainda teimam em praticar o amadorismo.

O que não falta a Salvador é atração. “Somos a primeira capital do Brasil, a quarta maior metrópole, e ficamos a apenas três horas dos principais aeroportos do país”, comemora Antonio Barretto Jr., Diretor de Turismo da cidade. Para melhor explorar o potencial do lugar, ele revela um posicionamento adotado que obedece a tipos de interesse.

Os pilares do turismo

O primeiro deles é “praia e sol”. Neste grupo destacam-se a baía de Todos os Santos, a maior do Brasil e a 2ª do mundo, além de 50 quilômetros de praias.

O segundo pilar é “história e cultura”, pois todo mundo sabe que a cidade respira arte, literatura e música – carnaval, samba de roda, blocos afros, balé folclórico. Isto sem esquecer, claro, o bem-preservado Centro Histórico e seu Pelourinho, onde foi inaugurada a já citada Casa do Carnaval. É lá também que se localiza o Convento do Carmo, fundado em 1586, onde hoje funciona um hotel da rede portuguesa Pestana.

Para quem se propõe a fazer o circuito religioso, não faltam opções de igrejas, candomblés e templos, com destaque para o Memorial Irmã Dulce, a primeira santa brasileira.

SINCRETISMO – No Memorial de Irmã Dulce até as fitas do Bonfim (ao fundo) homenageiam a 1a. santa brasileira

O quarto eixo é gastronômico, um quesito tão rico que se torna missão impossível descrever. Para quem quer ter uma ideia geral da deliciosa e peculiar culinária local, o Restaurante do Senac Pelourinho oferece a preços módicos um bufê bem elaborado de 40 pratos típicos e 12 sobremesas.

SENAC PELOURINHO – Há anos oferece um bufê impecável de 40 pratos típicos a preços decentes e bom serviço.

Salvador tampouco se ressente de pontos turísticos, entre palácios, fortes, memoriais e fundações, Elevador Lacerda, Mercado Municipal, e bairros como Itapoã, Tororó e Rio Vermelho, só para falar de alguns.

Há muito mais. Como a prática de esportes náuticos, festas realizadas sob mil pretextos, e comemorações que não acabam nunca, entre elas o tradicional Carnaval e o recente Festival da Virada.

Salvador da Bahia

A cidade de Salvador prefere ser conhecida como Salvador da Bahia, principalmente para que o viajante internacional não se confunda com o país e capital da América Central com o mesmo nome. Aliás, baiano que nasce em Salvador da Bahia tem orgulho de ser chamado de soteropolitano. No fim, dá na mesma, pois “sotero” em latim quer dizer “salvador”.

O que há de melhor nesta cidade? A cultura única, resultado de uma mistura improvável, mas que deu um povo alegre e de bem com a vida capaz de exportar simpatia, otimismo e criatividade para um mundo tão carente disto? Ou a gastronomia diversificada, combinada à espetacular paisagem e clima ameno que fazem o turista não querer mais voltar para casa? Ficam mil perguntas no ar, mas uma se sobrepõe: o que diferencia o turismo em Salvador? É que a cidade jamais perdeu sua autenticidade. Bem ao contrário. Lá é o visitante que precisa se adaptar ao ambiente e hábitos locais, e não o contrário. Em um mundo onde cidades e comportamentos estão se tornando tão iguais, isto faz toda a diferença!

FIM DE DIA NO ELEVADOR LACERDA- De qualquer ângulo da cidade dá para registrar um por-do-sol deslumbrante

* O jornalista Fabio Steinberg viajou a convite da Salvador Destination

Compartilhe:
- Anúncios -

7 COMENTÁRIOS

  1. Ficamos felizes quando vemos o sucesso da gestao pública representada por acoes e não demagogia. Um exemplo que nós pernambucanos deveríamos seguir em vez do protagonismo de prosopopeias visando a politica sem que represente nenhuma ação prática.
    Manoel Ferreira
    Agemar

  2. Bravos Fábio, já era tempo de uma percepção dessa natureza. E acho que só tem a melhorar. A BTS, Kirimure dos tupinambá, ainda é um potencial inexplorado e complemento da metrópole.

  3. Salvador é uma marca possuidora de ativos muito valiosos. Se bem geridos, volta a ser uma potencia do turismo. Tem muitos elementos que tornam um destino pronto para ser posicionado com competitividade.

  4. Prezado Fabio Steinberg,

    Gostaria de agradecer sua sempre justa e lúcidas matérias sobre o nosso turismo.
    Muito obrigado
    Conte sempre conosco
    Forte abraço
    Roberto Duran
    Salvador Destination

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here